Olá pessoal, fizemos um blog super divertido e educatico com textos, curiosidades, fotos e muito mais sobre Albert Einstein e Galileu Galilei.

Esperamos que vcs gostem!!!!! Bjinhx...................

Há, não esqueçam de deixar seus comentários ok?!?!?!

Acessem também http://fisicapravoce.zip.net para informações sobre Isaac Newton

Galileu Galilei: Sua vida, sua história

Boa Visita, esperamos que gostem.

Álbum de fotos: Galileu Galilei

                                                

               

Quem foi Galileu Galilei? Galileu Galilei foi um grande físico e astrônomo que nasceu em Pisa no ano de 1564

Qual era a grande habilidade de Galileu? Explique: Por certo, um dos méritos de Galileu foi a independência de pensamento, ele tinha espírito criativo e revolucionário, era dotado de grande habilidade experimental.

Porque ele foi preso e julgado pela Igreja Católica até a sua morte? Galileu foi preso em 1632 porque ele publicou a obra Diálogos sobre os dois grandes sistemas do mundo, na qual defendia a teoria heliocêntrica.

Qual foi a última obra de Galileu Galilei e do que ela tratava? A última obra de Galileu foi "Duas novas Ciências", na qual apresentou as bases da mecânica.

A Igreja Católica atual condenaria Galileu? Recentemente, as autoridades da Igreja Católica proclamaram a inocência de Galileu, reconhecendo publicamente o erro cometido por sua condenação.

Galileu Galilei Físico, Matemático e astrônomo Italiano, Galileu Galilei (1564-1642) descobriu a lei dos corpos e enunciou o princípio da Inércia. Por pouco Galileo não seguiu a carreira artística. Um de seus primeiros mestres, d. Orazio Morandi, tentou estimulá-lo a partir da coincidência de datas com Michelângelo (que havia morrido três dias depois de seu nascimento). Seu pai queria que fosse médico, então desembarcou no porto de Pisa para seguir essa profissão. Mas era um péssimo aluno e só pensava em fazer experiências físicas (que, na época, era considerada uma ciência de sonhadores).

Aristóteles era o único que havia descoberto algo sobre a Física, ninguém o contestava, até surgir Galileu. Foi nessa época que descobriu como fazer a balança hidrostática, que originaria o relógio de pêndulo. A partir de um folheto construiu a primeira luneta astronômica em Veneza. Fez observações da Via Láctea a partir de 1610 que o levaram a adotar o sistema de Copérnico. Pressionado pela Igreja, foi para Florença, aonde concluiu com seus estudos que o Centro Planetário era o Sol e não a Terra, essa girava ao redor dele como todos os planetas. Foi condenado pela inquisição e teve que negar tudo no tribunal. Colocou em discussão muitas idéias do filósofo grego Aristóteles, entre elas o fato de que os corpos pesados caem mais rápido que os leves, com a famosa história de que havia subido na torre de Pisa e lançado dois objetos do alto. Essa história nunca foi confirmada, mas Galileu provou que objetos leves e pesados caem com a mesma velocidade. Ao sair do tribunal, disse uma frase célebre: "Epur si Muove!", traduzindo, " e com tudo ela se move ". Morreu cego e condenado pela igreja, longe do convívio público. 341 anos após a sua morte, em 1983, a mesma igreja, revendo o processo,decidiu pela sua absolvição.

Principais Realizações

Albert Einstein: Sua vida, sua história

Boa Visita, esperamos que gostem

FOTOS DO ALBERT EINSTEIN

                            

Einstein                              Einstein e Elsa                               Mileva e filhos do Einstein

CASAMENTOS DE EINSTEIN

Para entender a relação de Einstein com Mileva é necessário aceitar a premissa de que Mileva Maric não era uma cientista brilhante. Era realmente uma mulher cuja capacidade intelectual se destacava relativamente às mulheres da sua época, mas daí a ser brilhante, vai uma grande diferença.

A ideia de que ela poderia ter colaborado na elaboração da teoria da relatividade surgiu logo depois da descoberta, em 1986, de um conjunto de cartas de Einstein, no período em que este tentava conquistá-la. Algumas dessas cartas referiam, quando Einstein falava nos estudos, o "nosso trabalho". A celeuma serviu para alimentar os meios de comunicação social e algumas revistas especializadas da época, mas o equívoco foi pouco tempo depois clarificado.

Einstein e Mileva conheceram-se em 1896, quando ambos ingressaram no ETH, juntamente com Marcel Grossman, Louis Kollross, Jakob Ehrat e outros seis caloiros. Concluíram o curso no primeiro semestre de 1900, mas ela chumbou, por duas vezes, nos exames para a obtenção do diploma de professor secundário. Durante a segunda tentativa, em Julho de 1901, ela estava com uma gravidez de três meses (Lieserl, a filha de Einstein cujo destino é desconhecido).
 

Deprimida, retorna à casa paterna e abandona o projecto de obtenção do diploma do ETH.

Einstein e Mileva casam-se em Janeiro de 1903. Em Maio de 1904 nasce o primogénito, Hans Albert.

A partir de 1905, à medida que o reconhecimento do trabalho de Einstein vai aumentando, este vai tendo cada vez menos tempo para dedicar à família.

Já em 1909, Mileva escreve para uma amiga em que declara que a fama de Einstein não lhe deixa tempo para a família. O segundo filho, Eduard, nasce em Julho de 1910, quando são evidentes os sinais de desgaste do casamento.

Aos poucos, Mileva torna-se cada vez mais taciturna e descuidada com a aparência. O sonho de amor estava a chegar ao final e a gota de água foi a transferência para Berlim, em 1914, quando supostamente Einstein escreve uma espécie de memorando dirigido a Mileva, no qual estabelece condições incríveis para continuarem juntos. Mileva e os dois filhos regressam a Zurique.

Einstein leva os três até a estação ferroviária, mas alegadamente terá chorado durante todo o caminho de regresso a casa (Pais, 1994, p.18).

A partida de Mileva e dos filhos libertou Einstein para o trabalho, mas foi com uma grande dificuldade que ele suportou a separação dos filhos. Ao contrário do que se dizia na época, Einstein não se despojou da família. Manteve-se sempre informado das suas necessidades e do crescimento dos filhos através do seu grande amigo, Michele Besso, professor no ETH (Speziali,1979).

Em Dezembro de 1915 informa a família através de Besso da sua intenção de ir até Zurique para se encontrar com os filhos, mas o constante encerramento da fronteira da Alemanha com a Suiça, por causa da primeira guerra mundial, impede a viagem. Em Maio de 1916 fica muito contente pelo facto de o amigo proporcionar momentos de diversão aos seus filhos. A correspondência prossegue, alternando discussões científicas com notícias familiares. Nas cartas de 1916, mostra-se bastante preocupado com o estado de saúde de Mileva, que sofre de uma infecção cerebral. Resolve, momentaneamente, não incomodá-la com a questão do divórcio, que afinal será concedido em 1919. No final, a relação de Einstein e Mileva, que viveram quase uma década de grande paixão, teve um final tão trágico como vulgar.

Embora só tenha formalizado o divórcio em 1919, a Setembro de 1917 Einstein muda-se para a casa da sua prima, Elsa Löwenthal, com quem vive até sua morte, em 20 de Dezembro de 1936. Viúvo aos 57 anos, Einstein permanece nesta condição o resto da sua vida, i.e., até 18 de Abril de 1955.

A sua vida conjugal com Elsa foi conturbada não apenas pelo fracasso do primeiro casamento, mas também pela saúde debilitada de Mileva e do filho Eduard. Mileva, numa constante crise de melancolia, morreu em Zurique, em 1948. Eduard, que herdou do pai os traços faciais e os talentos musicais, herdou da mãe a tendência para a melancolia. Escreveu poesias. Estudou medicina e queria ser psiquiatra. Muito cedo Einstein reconheceu indícios de demência no filho, que veio a falecer no Hospital Psiquiátrico Burgholz, Zurique, em 1965.
++++++++++SIONISMO E PACIFISMO++++++++++


No contexto de fama e popularidade, Einstein passou a visitar institutos e universidades de todo o mundo para dar palestras, iniciando um longo período de viagens. Seguiu primeiramente aos Estados Unidos, Europa e Japão, mas não deixou de passar rapidamente pelo Brasil, em 1925, durante sua viagem pela América Latina, atendendo a um convite da Universidade de Buenos Aires. Ele foi o primeiro cientista alemão de renome a visitar a Inglaterra depois da Primeira Grande Guerra – não foi à toa: ele era um pacifista e logo descobriu a força que tinha para dar voz a movimentos internacionais pela paz. Por causa disso, chegou a ser encarado como um traidor da Alemanha. “Enquanto a maioria dos cientistas se envolvia em esforços da guerra, ele foi um dos poucos que levantou a voz a favor do pacifismo e contra a guerra”, destaca Tolmasquim. “Com a notoriedade, ele passa a ser muito festejado e muito atacado também, pelas suas idéias pacifistas e por ser judeu”, complementa.

Einstein engajou-se nas causas judaicas, justamente num período histórico em que os judeus lutavam pela criação de um estado próprio – num movimento conhecido como sionismo – e sofriam duras perseguições. Por causa disso, pensou várias vezes em sair da Alemanha, o que aconteceu quando Hittler tomou o poder, em 1933. Na época, Einstein estava na Bélgica, a caminho da Alemanha. Com a notícia, ele viajou para os EUA, onde ficou até sua morte em 1955. Parte do seu material de trabalho foi destruído pelos nazistas na Alemanha.

Mesmo dos Estados Unidos, o físico continuou intercedendo em favor dos judeus. “Existem cartas dele até para Osvaldo Aranha, que era o ministro das relações exteriores durante o governo do Getúlio Vargas, solicitando intervenções em prol dos refugiados da Alemanha”, enfatiza Tolmasquim. Durante a guerra, ele fez uma carta ao então presidente dos Estados Unidos, Franklin Roosevelt, afirmando que a Alemanha tinha condições de desenvolver a bomba atômica, por isso os Estados Unidos deveriam se apressar. A carta é considerada por alguns pesquisadores uma das molas propulsoras do Projeto Manhattan, que construiu as bombas de Hiroshima e Nagasaki. Outros pesquisadores contestam: “os americanos não acreditavam em Einstein, achavam que ele era comunista”, explica o diretor do Mast.

Com uma conturbada vida pessoal, marcada por esforços em prol da física, da paz e dos judeus, casou-se duas vezes, separou-se da primeira esposa depois de 11 anos e com a segunda esposa passou 17 anos, até ficar viúvo. Foi durante esse segundo casamento que tornou-se conhecido e ganhou o Prêmio Nobel em 1921 – popularidade aprovada pela segunda esposa, que fazia questão de administrar a vida pessoal do físico e de cuidar da sua imagem. Mas ele se sentia um estranho em sua própria casa de classe média, na qual dormia no corredor, já que os quartos eram ocupados pelos filhos e pela esposa. Mesmo casado e com filhos, mesmo popular, mesmo gênio, Einstein continuava no isolamento que manteve na sua infância, como se estivesse sempre formulando mais uma teoria da física.
#############RELIGIÃO#############


"Minha religião consiste numa admiração humilde ao Espírito Superior e Iluminado que se revela a si mesmo nos mínimos pormenores, que estamos aptos a captar com nossas fracas e irrelevantes mentes. A profunda certeza de um Poder Superior que se revela no Universo, difícil de ser compreendido, forma a minha idéia de Deus"
»»»»»»»»»»OBRAS«««««««««««


Científica

"Movimento Browniano", 1905
"Efeito Fotoelétrico", 1905
"Teoria Especial da Relatividade", 1905
"Teoria Geral da Relatividade", 1916
"Investigações sobre a Teoria do Movimento Browniano", 1926
"Evolução da Física", 1938


Literária

"Como Vejo o Mundo", 1922-1934
"Sobre o Sionismo", 1930
"A Minha Filosofia", 1934
"Meus últimos anos", 1950
"Escritos da Maturidade", 1934-1950
"Notas Autobiográficas"
A VIDA DE ALBERT EINSTEIN

Albert Einstein nasceu numa sexta-feira, dia 14 de março de 1879, em Ulm, uma próspera cidade ao sul da Alemanha. Ele foi o primeiro e único filho homem de Hermman Einstein e Pauline Koch. Já nos primeiros anos de sua vida, Einstein provocava comentários. Sua mãe estava convencida de que o formato de sua cabeça era fora do comum e temia que tivesse algum problema mental, porque era muito lento para aprender a falar. Passou sua juventude em Munique, onde sua família possuía uma pequena oficina destinada à construção de máquinas elétricas. Einstein não falou até os 3 anos de idade, mas desde jovem mostrou uma curiosidade brilhante sobre a Natureza, e uma habilidade para compreender conceitos matemáticos avançados. Com 12 anos de idade, aprendeu por conta própria a Geometria Euclideana.

Albert cresceu forte e saudável, embora não gostasse de praticar esportes organizados. Era um garoto quieto e particularmente solitário, que preferia ler e ouvir música. Não gostava do regime monótono e do espírito sem imaginação da escola em Munique. Se considerasse os conselhos de um de seus professores teria abandonado a escola. Quando sua família mudou-se para Milão, na Itália, Einstein tinha 15 anos. Nesta ocasião passou 1 ano com sua família em Milão. Terminou a escola secundária em Arrau, Suíça, e com boas notas somente em Matemática, entrou, em 1896, no Instituto Politécnico de Zurique, onde se graduou em 1901 com dificuldades. Einstein não gostava dos métodos de instrução lá aplicados. Freqüentemente não assistia às aulas, usando o tempo para estudar Física ou tocar seu adorado violino. Passou nos exames e graduou-se em 1900. Seus professores não o tinham como grande aluno e não o recomendariam para uma posição na Universidade. Por dois anos Einstein trabalhou como tutor e professor substituto. Em 1902, assegurou uma posição como examinador no Escritório de Patentes da Suíça em Bern. Em 1903, casou-se com Mileva Maric, que havia sido sua colega na Escola Politécnica.

Em 1905, após ter conseguido um emprego no serviço federal de patentes que o deixava com horas vagas para estudar os problemas da física contemporânea, o mundo tomou conhecimento de sua existência através da publicação de cinco artigos nos Annalen der Physik, revista científica alemã. No mesmo ano recebeu seu grau de Doutor pela Universidade de Zurique por uma dissertação teórica a respeito das dimensões de moléculas, e também publicou 3 trabalhos teóricos de grande importância para o desenvolvimento da Física do século 20. No primeiro desses trabalhos, sobre o Movimento Browniano, ele realizou previsões significantes sobre o movimento de partículas distribuídas aleatoriamente em um fluido. Tais previsões seriam confirmadas posteriormente, através de experiências.

O segundo Trabalho, sobre o Efeito Fotoelétrico, continha uma hipótese revolucionária a respeito da natureza da luz. Einstein não somente propôs que sob certas circunstâncias pode-se considerar a luz feita de partículas, mas também a hipótese que a energia carregada por qualquer partícula de luz, chamada de fóton, é proporcional à freqüência da radiação. Uma década mais tarde, o Físico americano Robert Andrews Millikan confirmou experimentalmente a teoria de Einstein. Einstein, cuja preocupação primordial é compreender a natureza da radiação eletromagnética, desenvolveu posteriormente uma teoria que seria uma fusão dos modelos de partícula e onda para a luz. Novamente, poucos cientistas compreendiam ou aceitavam suas idéias.
PENSAMENTOS!!!!!!!

"O ser humano vivencia a si mesmo, seus pensamentos, como algo separado do resto do universo - numa espécie de ilusão de ótica de sua consciência. E essa ilusão é um tipo de prisão que nos restringe a nossos desejos pessoais, conceitos e ao afeto apenas pelas pessoas mais próximas. Nossa principal tarefa é a de nos livrarmos dessa prisão, ampliando o nosso círculo de compaixão, para que ele abranja todos os seres vivos e toda a natureza em sua beleza. Ninguém conseguirá atingir completamente este objetivo, mas lutar pela sua realização já é por si só parte de nossa liberação e o alicerce de nossa segurança interior"."A vida é como jogar uma bola na parede :
Se for jogada uma bola azul, ela voltará azul;
Se for jogada uma bola verde, ela voltará verde;
Se a bola for jogada fraca, ela voltará fraca;
Se a bola for jogada com força, ela voltará com força.
Por isso, nunca "jogue uma bola na vida" de forma que você não esteja pronto a recebê-la. "A vida não dá nem empresta; não se comove nem se apieda. Tudo quanto ela faz é retribuir e transferir aquilo que nós lhe oferecemos"

"Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio e eis que a verdade se me revela."

"A ciência sem religião é manca e religião sem ciência é cega.""Imaginar é mais importante que saber, pois o conhecimento é limitado enquanto a
imaginação abarca o Universo."

"Há duas coisas infinitas; o universo e a tolice dos homens."

"Sem Deus, o universo não é explicável satisfatoriamente."

[ ver mensagens anteriores ]